Notícias

Temer segue enterrando o futuro do país

06/08/18
O Conselho Superior da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) enviou em 1º de agosto um ofício ao ministro da Educação, Rossieli Soares da Silva, alertando para o risco de, a partir de agosto de 2019, a entidade não ter mais recursos para pagar bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado, bem como de iniciação à docência e formação de professores de educação básica. Na prática, isso significa o fim da pesquisa científica no país.
Após congelar os investimentos públicos por 20 anos, liberar a terceirização irrestrita, aprovar o fim da legislação trabalhista, entre outros ataques à classe trabalhadora brasileira, o presidente Michel Temer conseguiu agora enterrar a pesquisa científica.
O corte de R$ 500 milhões no orçamento impedirá o pagamento da bolsa científica para 93 mil pesquisadores das mais variadas áreas.
De acordo com o órgão, o financiamento da Capes previsto para 2019 irá acarretar na “suspensão do pagamento de todos os bolsistas de mestrado, doutorado e pós-doutorado a partir de agosto de 2019, atingindo mais de 93 mil discentes e pesquisadores, interrompendo os programas de fomento à pós-graduação no país, tanto os institucionais (de ação continuada), quanto os estratégicos (editais de indução e acordos de parceria com os estados e outros órgãos governamentais)”.
Para se ter uma ideia das prioridades do governo, somente com o auxílio-moradia dos três poderes foram gastos em 2017 R$ 817 milhões.

LUTA BANCÁRIA

Mais revistas