Notícias

Coordenação Nacional da CSP Conlutas aprova resolução sobre situação política e desafios da Central e dos trabalhadores

04/12/18
A reunião da Coordenação Nacional da CSP-Conlutas, realizada entre os dias 23 e 25 de novembro em São Paulo, aprovou resolução sobre a conjuntura com análise da vitória do governo de ultradireita de Jair Bolsonaro  (PSL) e os desafios que estão postos para a organização da Central e para a luta da classe trabalhadora brasileira.
 
Programa e campanhas
– Não à Reforma da Previdência: Fortalecer a campanha lançada em unidade com todas as Centrais e, em nossos materiais, acrescentar as consignas “Se botar pra votar o Brasil tem de parar!’’. Devemos hierarquizar nossas ações por esse tema logo no início do Governo. Devemos produzir vídeos, memes, cartazes, cartilhas, áudios, depoimentos, realizar palestras, seminários, assembleias, enfim, fazermos tudo que for possível para derrotar essa reforma e isso começa com uma conscientização ampla do conjunto de nossa classe frente a essa “nova” proposta de acabar com a nossa aposentadoria;
– Incorporar-se a todas as lutas e ações contra as reformas previdenciárias de Estados e Municípios;
– Contra o projeto Escola Sem Partido, por uma Escola sem Mordaça! Incorporar e fortalecer as ações e comitês;
-Em defesa das liberdades democráticas, direito de organização, manifestação e greve;
– Revogação imediata da LC-95 e retomada dos investimentos em Saúde, Educação, Moradia e Saneamento Básico;
– Por um plano emergencial de geração de emprego, com direitos e salário digno;
– Revogação da Reforma Trabalhista e da lei das terceirizações; Defesa do Ministério do Trabalho e Não à Carteira de Trabalho “verde-amarela” sem direitos;
– Defesa da valorização dos Serviços e Servidores públicos; Pela realização de mais concursos públicos e defesa da estabilidade do funcionalismo Federal, Estadual e Municipal;
– Contra as privatizações; Reestatização, sem indenização, das empresas privatizadas pelos governos anteriores; Contra a Privatização da Petrobrás, Correios, Eletrobrás, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e demais estatais; Nesse tema nossa central, inclusive, deve retomar e fortalecer uma campanha específica com produção de novos materiais e um devido destaque a essa questão na atual conjuntura;
– Contra o Machismo, o Racismo, a Lgbtfobia, a Xenofobia e toda forma de opressão e exploração: Devemos intensificar ainda mais nossas iniciativas de ação, resistência e luta desses setores. Para tanto vamos nos apoiar e fortalecer as mobilizações das mulheres, com todo seu protagonismo, bem como dos negros e negras e suas lutas por Reparação e contra o genocídio na periferia. Devemos, ainda, apoiar e participar de maneira ativa de toda luta e resistência da comunidade Lgbt e contra a xenofobia;
– Em defesa dos povos nativos: Proteção aos povos originários e sua cultura; Em defesa da demarcação de Todas as Terras Indígenas e titulação de todas as terras Quilombolas;
– Reforma agrária, sem indenização do latifúndio ou agronegócio e com controle dos trabalhadores; Defesa do fortalecimento com financiamento público, assistência técnica e política de infraestrutura e comercialização para a agricultura familiar;
– Não à criminalização das lutas e dos lutadores: Pela revogação da atual lei “antiterrorismo” e contra a tentativa de seu aprofundamento com a tipificação deste crime para as lutas por terra e moradia; Pelo direito à auto- defesa. Lutar não é crime, lutar é um direito!;
– Mobilizações contra a reunião do G20 em Buenos Aires, Argentina ;
– Buscar participar de frentes, fóruns ou espaços de unidade de ação unitários em defesa dos direitos e das liberdades democráticas;
– Suspensão e auditoria imediata do pagamento da Dívida Pública;
– Não à Corrupção: Punição e confisco dos bens de todos os corruptos e corruptores.
 
Rio Grande do Norte
No estado algumas Centrais Sindicais vêm se articulando para, de forma conjunta, fortalecer a resistência. Já foram três reuniões para construir no próximo dia 12 de dezembro  uma Plenária Estadual em Defesa da Previdência. Em breve divulgaremos mais detalhes do evento.

LUTA BANCÁRIA

Mais revistas