Notícias

Previ: Desempenho negativo no 3º trimestre

22/12/15
O desempenho dos investimentos de renda variável e estruturados jogaram para baixo a rentabilidade dos planos da Previ no terceiro trimestre. O Plano 1 da fundação, de benefício definido (BD), obteve 3,24% de rentabilidade contra uma meta de 12,27%. Já no Previ Futuro, da modalidade de contribuição definida (CD), o retorno foi de 2,29% frente à mesma meta. No plano BD, renda variável registrou queda de 2,46% no terceiro trimestre, enquanto o segmento de estruturados ficou em -10,76%. O plano 1 acumula um déficit técnico de R$ 572 milhões.
No Previ Futuro, a rentabilidade de renda variável foi -9,91%, e a de estruturados, -10,09%. “Os resultados contabilizados atualmente mostram uma visão de curto prazo que não combina com a natureza dos fundos de previdência, pois são carregados de depreciações advindas de questões conjunturais”, diz a Previ em comunicado. “Os números são parciais, tendo em vista que a nossa carteira de renda variável possui algumas empresas relevantes que são avaliadas a valor econômico”, salienta. O plano acumula déficit de R$ 30 milhões em benefícios de risco, mas possui um fundo de reserva de R$ 66 milhões que pode ser utilizado para cobrir o desequilíbrio.
Em renda fixa, o Plano 1 registrou rentabilidade de 10,10%, enquanto imóveis gerou retornos de 8,69%. O melhor desempenho da carteira do plano foi o de investimentos no exterior, com 40,49% de rentabilidade. No Previ Futuro, a rentabilidade de exterior foi a mesma do outro plano. Renda fixa, por sua vez, gerou retornos de 7,24% e imóveis, de 5,59%. No total a fundação encerrou o terceiro trimestre com um patrimônio de R$ 167,3 bilhões. (Agência Investidor Online)

LUTA BANCÁRIA

Mais revistas