Notícias

Se a CASSI tá quebrada, a culpa é do BB

31/07/19
A ANS instaurou o Regime de Direção Fiscal na CASSI no dia 22 de julho de 2019, com isso temos visto muitos que defenderam a última proposta tentarem culpar quem votou não pela ‘‘intervenção’’, o que é extremamente inverídico.
Quem votou NÃO, votou contra a quebra da solidariedade, o aumento da contribuição dos associados, ao mesmo tempo que mantinha dos valores já praticados pelo patrocinador e contra o aumento de poder de gestão do Banco.
Há dois responsáveis diretos pela ação da ANS: o BB e a Contraf CUT. O Banco do Brasil com sua política de arrocho salarial, retirada de direitos (anuênios, interstícios de 12 e 16%), descomissionamentos, fins de postos de trabalho, reestruturações permanentes, agravamento nas condições de trabalho acarretando maior nível de adoecimento, todas ações que impactam diretamente à Caixa de Assistência.
Já a Contraf CUT contribuiu comandando a CASSI durante todo o período em que apresentou gestão deficitária, seja através de diretores eleitos, seja através dos indicados pelo Banco.
Com um lucro de 12,8 bilhões em 2018, o BB quer deixar o plano de saúde de seus funcionários sem reservas financeiras. Sabemos da necessidade do aporte de recursos para resolver o problema da CASSI, mas o lucro do Banco só existe em virtude dos funcionários, e ele deve fazer isto de forma perene.
O atendimento da CASSI e o pagamento a fornecedores permanece inalterado durante o regime de direção fiscal.
Nesse regime especial, a ANS não destitui a diretoria da CASSI, muito menos terá o poder de mudar seu estatuto. A ANS acompanhará a questão financeira da CASSI. Cabe salientar, que essas  informações se baseiam em exemplos REAIS de intervenções: GEAP, Unimed RJ, e Caixa de Assistência dos Funcionários do BASA. Nenhum deles parou de funcionar ou teve sua carteira alienada.
O regime de direção fiscal comprova que o aumento da coparticipação aprovado pela “turma do Satoru” além de prejudicar os funcionários, não resolveu a situação da Caixa de Assistência, apenas comprovando como, na prática, essa turma apenas representa os interesses patronais na gestão da CASSI.
Não há garantia nenhuma de que a Agência irá “sanear” o plano. A ANS é uma agência reguladora, que tem seus membros indicados pelo Governo Federal e visa impor padrões “de mercado” sem atender aos interesses dos usuários da CASSI
Devemos mobilizar os funcionários para que o BB negocie, mas mantendo a solidariedade, proporção contributiva e paridade da gestão. Vamos juntos organizar a luta em defesa da Caixa de Assistência.
 
Com informações de Oposição CASSI

LUTA BANCÁRIA

Mais revistas