Notícias

Nota da FNOB sobre a negociação com o Banco do Brasil

12/02/21

Na mesa de conciliação, o banco se limitou a dizer que apresentaria e justificaria localmente as medidas tomadas na reestruturação (dificultando que o movimento sindical tenha a informação completa de quantas agências estão fechando, por exemplo) e a propor uma prorrogação de 30 dias para a retirada da função dos caixas executivos efetivos. Em troca, deveríamos abrir mão das ações já ajuizadas — inclusive de algumas vitoriosas, ou com liminar já obtida — que dificultam a implementação da reestruturação. Uma proposta pífia, rejeitada por todas as representações do movimento sindical. Ou seja: não houve acordo diante do MPT.

Diante da intransigência do governo federal de Jair Bolsonaro — que é o principal acionista do BB e que fez jogo de cena para a imprensa e a população afirmando ter sido contrário à reestruturação —, não resta outra saída além de intensificar as ações no sentido de manter o estado de greve e mobilizar os trabalhadores para mais paralisações, inclusive por tempo indeterminado.

Só a luta muda a vida!

Frente Nacional de Oposição Bancária
Sindicato dos Bancários de Bauru e Região
Sindicato dos Bancários do Maranhão
Sindicato dos Bancários do Rio Grande do Norte
<strong inherit;="" margin:="" 0px;="" padding:="" border:="" font-style:="" font-variant:="" font-stretch:="" font-size:="" line-height:="" font-family:="" vertical-align:="" baseline;"="">FNOB-Oposição PA


LUTA BANCÁRIA

Mais revistas