Notícias

Bancários terão reajuste de 10,97%

09/09/21
Os bancários terão um reajuste de 10,97% neste mês, meio ponto percentual acima do INPC dos últimos 12 meses, como previa o acordo. Isso está muito longe de cobrir as perdas históricas da categoria, acumuladas desde o Plano Real, que superam os 50% nos bancos públicos e atingem também os bancos privados.
 
Infelizmente, o resultado é apenas a reposição da inflação oficial, bem longe da inflação real, onde o arroz, o feijão, a carne, a luz, a gasolina, o gás, o aluguel, etc. subiram muito mais. O que estamos ganhando agora pode parecer bastante, mas é o que foi tomado durante o ano inteiro, quando tudo subiu e nosso salário se manteve congelado. Por esta razão  que defendemos que haja um gatilho salarial, com reajuste automático sempre que a inflação atingir 3%. Agora, nos reporão a inflação que já corroeu nosso poder aquisitivo. Mas, no mês que vem, a inflação já começará a atacar nosso poder de compra novamente. 
 
Nos dizemos que o acordo bianual assinado pela Contraf/CUT no ano passado foi rebaixado, porque deixou de lado vários outros pontos que precisavam ser tratados durante a Campanha Salarial, como a reversão do fechamento de agências, a contratação de mais bancários, a luta contra desmonte dos planos de previdência, entre outros.
Somente com o aumento dos percentuais pagos pelos trabalhadores nos Planos de Saúde, os bancários perderam muito mais do que com o 0,5% de reajuste que a Contraf-CUT tem a coragem de chamar de "ganho real".
 
Além disso, reduzir uma Campanha Salarial a apenas um índice, no momento político que estamos vivendo, com um governo ultraliberal e que ataca a classe trabalhadora sem piedade, foi lastimável, uma vez que poderíamos ter levado a categoria às ruas na construção do Fora Bolsonaro.

LUTA BANCÁRIA

Mais revistas